Porque investir no varejo de alimentos em 2017

Porque investir no varejo de alimentos em 2017

Desde 2015, a crise econômica e política voltaram a ser assuntos cotidiano na vida do brasileiro. Depois de alguns anos de crescimento e otimismo, o mercado voltou a enfrentar momentos de recessão em diversos setores. Mas, apesar do cenário negativo, o varejo de alimentos tem se mostrado na contramão da crise.

Das pequenas lanchonetes a grandes restaurantes, passando, principalmente por hamburguerias, cervejarias e outros espaços mais personalizados, o varejo de alimentos tem mostrado o seu potencial e promete manter-se como um excelente investimento neste e nos próximos anos. Confira abaixo mais algumas razões do por quê investir no varejo de alimentos!

Crescimento em 2017

Os últimos dois anos foram muito complicados para os pequenos e médios empresários no Brasil. A crise política e econômica criaram um quadro de insegurança e instabilidade que fizeram muitos negócios fecharem as portas. Contudo, depois de um período complicado, os ventos parecem soprar em direção ao crescimento e o varejo de alimentos só tem a ganhar.

De acordo com as previsões lançadas em março pelo Banco Central, a expectativa é de que o PIB (Produto Interno Bruto) cresça 0,5% em 2017. A queda na inflação e a redução dos juros básicos da economia prometem aumentar o consumo familiar em 0,5%, que em 2016 foi negativo.

Estes números são muito favoráveis para o setor de alimentação, que se beneficiam diretamente deste consumidor que começa a retomar a confiança e, aos poucos, volta a investir um pouco mais de dinheiro no mercado.

3 diferenciais do varejo de alimentos

Existem vários motivos que fazem do varejo de alimentos, um mercado diferente dos outros. Exatamente por isso, este é um setor que tem conseguido driblar a crise e se mostrado como uma boa opção de investimento.

Fluxo intenso de pessoas

Seja uma pequena merceria, lanchonete, restaurante ou mercado, há sempre alguém no caixa finalizando as suas compras. Independente da quantidade de produtos, este é um setor onde a mercadoria gira rapidamente.

Esta fluidez e velocidade exige a presença do dono, gerente ou algum atendente o tempo todo na loja. Afinal, é preciso controlar todas as operações e garantir que os resultados das vendas sejam positivos. Ter uma pessoa fixa nessa função é garantia de manter a qualidade e a excelência no atendimento. Isso impacta diretamente na forma como o cliente se relaciona com o estabelecimento, aumentando a frequência e, consequentemente, as vendas.

Funcionamento da loja

O setor alimentício supre uma necessidade vital: comer. Ou seja, há sempre clientela pronta para consumir, seja o seu negócio uma mercearia ou um restaurante.

Por esse motivo, o varejo de alimentos já sai na frente de outros setores. Até mesmo os dias considerados mais fracos para as outras áreas como feriado e finais de semana, acabam por ser bons momentos para quem tem um negócio no setor alimentício.

Negócio local

Por mais que você seja dono de uma franquia, ao ter uma loja no setor alimentício, você cria relações com aquelas pessoas que sempre compram e comem no seu estabelecimento. O varejo de alimentos tem um característica local e permite a fidelização de clientes com mais facilidade.

Nos momentos de crise, poder contar com os seus consumidores de sempre e pensar em promoções voltadas para eles são uma excelente maneira de driblar o momento negativo. Aproveite desta oportunidade e dê toda atenção possível aos seus clientes.

Apesar de parecer motivos muito simples, estes aspectos fazem do varejo de alimentos um setor diferente e com mais possibilidades de crescimento.

DEIXE SEUS COMENTÁRIOS